Now Playing Tracks

Ontem eu dei três tiros no passado. O primeiro deles foi no peito para matar tudo o que ele havia sentido, o segundo deles foi na cabeça para que fosse apagado cada uma das lembranças que ele teve em seu pouco tempo de existência, o terceiro e mais fatal dos tiros foi em sua boca para que aqueles lábios nunca mais tivessem a ousadia de dizer que me amam. Fui acusado de homicídio, mas aleguei legitima defesa. Afinal, se eu não matasse o passado, ele me mataria.
Otávio L. Azevedo. (via constelava)

(Fonte: sonetario)

Eu poderia descrever todo o sentimento que estou sentindo agora, poderia falar de toda essa angústia, poderia até dizer o quanto ta doendo saber que você prefere outra do que a mim. Mas eu decidi fazer diferente, decidi que não vou ficar sofrendo por causa de você, que não vou ficar perdendo o meu tempo pensando o porque disso tudo estar acontecendo enquanto você ta bem e feliz com ela. Posso até te amar mas jamais vou deixar de me amar, jamais vou deixar de me importar comigo mesma e de pensar em mim antes de qualquer coisa. Me desculpa, mas dessa vez o meu amor próprio venceu.
Para alguém que talvez nunca irá ler.  (via nobroke)

(Fonte: capacitadora)

Sigo a vida conforme o roteiro, sou quase normal por fora, pra ninguém desconfiar. Mas por dentro eu deliro e questiono. Não quero uma vida pequena, um amor pequeno, um alegria que caiba dentro da bolsa. Eu quero mais que isso. Quero o que não vejo. Quero o que não entendo. Quero muito e quero sem fim. Não cresci pra viver mais ou menos, nasci com dois pares de asas, vou aonde eu me levar. Por isso, não me venha com superfícies, nada raso me satisfaz. Eu quero é o mergulho. Entrar de roupa e tudo no infinito que é a vida. E rezar – se ainda acreditar – pra sair ainda bem melhor do outro lado de lá.
Fernanda Melo.   (via ultimosonho)

(Fonte: sou-inseguro)

We make Tumblr themes